Este navegador não é suportado

Você está usando um navegador que não é mais suportado. Para continuar visitando nosso site, escolha um dos seguintes navegadores compatíveis.

Close

Proteja seus operadores da Síndrome da Mão Branca

1 de Março de 2017

HAVS Topics Vibração Área dos especialistas

Sua equipe usa ferramentas manuais de mão, como chaves de impacto industriais ou trituradores? Confira nossas 7 dicas para reduzir sua exposição à Síndrome da Mão Branca (Hand Arm Vibration Syndrome - HAVS).

O que é a Síndrome da Mão Branca?

A Síndrome da mão Branca é reconhecida como um grave distúrbio relacionado ao trabalho, que afeta milhares de trabalhadores industriais. É representado por danos nos vasos sanguíneos, nervos, músculos e articulações do punho e braço causados pela exposição intensiva e repetida à vibração. Essa exposição vem do trabalho com ferramentas vibratórias ou segurando materiais trêmulos. Os golpes repetidos nos dedos e mãos em certas frequências constituem um risco para os trabalhadores. Não há certeza sobre como isso acontece exatamente, mas numerosos estudos mostram danos aos vasos sanguíneos muito finos nas mãos como um provável contribuinte para a síndrome.


Quais são os sintomas?

  • Os primeiros sintomas: perda repetida de sensação, dormência, na ponta dos dedos e sensação de agulhas nos dedos, formigamento, são indicadores precoces. Essas sensações podem ir e vir e não são provas do HAVS, mas devem ser vistas como alertas precoces.
  • Sintomas posteriores: Mais tarde, os sintomas mais graves são frequentemente sentidos como dormência permanente dos dedos, causando dificuldades na vida diária ao manusear pequenos objetos ou ao abotoar, por exemplo.

Ao ficar frio ou úmido, os dedos costumam reagir tornando-se brancos e, em seguida, vermelhos, enquanto estão doloridos. Isso é chamado fenômeno de Raynaud e também é comum em casos da síndrome da Mão Branca.

Quem poderia estar preocupado com o HAVS?

Todos os usuários frequentes de ferramentas elétricas que vibram durante o uso podem ser afetados. O nível de vibração e o tempo de acionamento por turno de trabalho são os principais fatores que, juntos, indicam se a pessoa está em risco. De acordo com um estudo japonês de longo prazo sobre trabalhadores florestais usando motosserras (Nagoya, 1994), existe uma forte relação entre o número de anos de exposição e a prevalência de HAVS. Entre os trabalhadores com mais de 50 anos de idade, 38% apresentaram sinais dessa síndrome. O Conselho Nacional de Segurança dos EUA estima que cerca de 2 milhões de trabalhadores dos EUA estão expostos à vibração de mão-braço hoje, e até a metade poderia desenvolver o HAVS (leia o artigo completo). HAVS é evitável, mas uma vez que o dano é feito, muitas vezes é permanente.

Como gerenciar riscos em seu local de trabalho: 7 dicas para reduzir a exposição à vibração

Muitas medidas podem ser tomadas para reduzir o risco. Limitando o tempo de exposição à vibração sendo claramente o mais importante, alguns outros pontos-chave podem ser levados em consideração para proteger você, seus colegas ou seus funcionários:

  1. Experimente diferentes ferramentas. Escolha aquelas que não deixam os dedos dormentes ao usá-los por um curto período de tempo.
  2. Sempre verifique se as ferramentas estão em bom estado e com a manutenção em dia.
  3. Use a ferramenta certa para o trabalho certo. O tempo de acionamento é essencial aqui, escolha uma ferramenta mais forte e mais eficiente que possa fazer o trabalho em um período de tempo menor em vez de um mais leve.
  4. Limite o tempo por turno de trabalho com uma forte absorção de vibrações. Com aplicações que dão fortes vibrações, o operador pode atingir uma dose de vibração potencialmente prejudicial em poucos minutos. Para referência, com uma aplicação que dá 20 m / s² de vibração para as mãos do operador, a exposição correspondente ao valor da ação, (o valor onde o empregador precisa tomar ações para limitar as vibrações), é alcançada após apenas 8 minutos.
  5. Segure a ferramenta corretamente e não aperte o gatilho quando não for necessário.
  6. Mantenha as mãos quentes e tente evitar o contato direto com o congelamento ou com partes muito frias. Guarde a ferramenta corretamente para que seu colega também fique confortável. Se possível, não deixe ferramentas do lado de fora durante a noite.
  7. Faça pausas regulares. Evite sequências longas de altas vibrações e tente fazer outros trabalhos no meio.